Variables de la salud y calidad de vida de los maestros en una ciudad del Norte – Brasil

##plugins.themes.bootstrap3.article.main##

Elen Andrade de Araújo Queila da Costa Rodrigues Elisvania Nunes Braz Elizabeth Mendes Claudio Joaquim Borba-Pinheiro

Resumen

El presente estudio tiene como objetivo comparar el tiempo de enseñanza, número de clases, ín-dice de masa corporal (IMC), variables de salud física, mental y calidad de vida (CV) entre maes-tros. La muestra consiste en 85 maestros de ambos sexos: Grupo-Primario (GP: n=25; 34.3±5.5 años); Grupo-Superior (GS n=24 a 36.9 ± 5.1 años) y Grupo-inclusión (GI: n=36 a 38.7±6.03 años). Los cuestionarios de evaluación: SF-36 para CV; Beck inventario-A (ansiedad); Inventa-rio-D (depresión); se utilizó también el Brief Pain Inventario. El tiempo de enseñanza mostró di-ferencias estadísticas, el GP tenía más tiempo (Δ%=8.9%; p=0.001). El número de Clases mostró diferencias estadísticas para GP (Δ%=9%; p=0.01) en comparación con GS y GI. IMC; Ansiedad y Depresión no presentaron diferencias (p<0.05) entre grupos. Los escores para salud física, men-tal y CV total mostraron clasificación regular para todos los grupos, pero no hubo diferencias (p<0.05). Los maestros del GP tienen más tiempo de enseñanza y más clases en comparación con los dos grupos.



##plugins.themes.bootstrap3.article.details##

Sección
Investigación
Citas

Baptista, M.N., & Carneiro, A.M. (2011). Validade da escala de depressão: relação com ansiedade estress laboral. Estud. Psicol. (Campinas), 28(3):345-352.


Brasil. (2012). Ministério da Saúde. Conselho Nacional de Saúde. Resolução 466, 2012. Diretrizes e normas regulamentadoras de pesquisas envolvendo seres humanos. Brasília, 13 jun.



Beck, A.T., Epstein., Brown, G., & Steer, R.A. (1988). The Beck Ansiety Inventory. J. Consult. Clin. Psychol. 56:893-897.


Both, J., Nascimento, J.V., Sonoo, C.N., Lemos, C. A. F., & Borgatto, A. F. (2010). Condições de vida do trabalhador docente: Associação entre estilo de vida e qualida de de vida no trabalho de professores de Educação Física. Motricidade, 6(3): 39-51.


Cardoso, J.P., Ribeiro, I.D.Q.B., Araújo, T. M. D., Carvalho, F.M., & Reis, E.J.F.B.D. (2009). Prevalência de dor musculoesquelética em professores. Rev. Bras Epidemiol, 12(4):604-614.


Cardoso, A.C.M. (2013). Organização e intensificação do tempo de trabalho. Sociedade e Estado, 28(2):351-374.


Carlotto, M.S. (2010). Síndrome de Burnout: diferenças segundo nível de ensino. Psico, 41(4):495-502.


Cevada, T., Cerqueira, L.S., Moraes, H.S., Santos, T.M., Pompeu, F.A.M.S., Deslandes, A.C. (2012). Relação entre esporte, resiliência, qualidade de vida e ansiedade. Rev. Psiq. Clín. 39(3):85-9.


Ciconelli, R. M., Ferraz, M. B., Santos, W., Meinão, I., & Quaresma, M. R. (1999). Tradução para a língua portuguesa e validação do questionário genérico de avaliação de qualidade de vida SF- 36 (Brasil SF-36). Rev Bras Reumatol, 39(3);143-50.


Dallepiane, S. & Bigolin, SE. (2004). A presença de dor no cotidiano de professores da UniversidadeRegional do Nordeste do Estado do Rio Grande do Sul. Rev. Contexto & Saúde, 3(7):231-239.


Daut, R.L., Cleeland, C.S., Flanery R.C. (1983). Development of the Wisconsin Brief Pain Questionnaire to assess pain in cancer and other diseases. Pain, 17(2):197-210.


Farias, G.O., Lemos, C.A.F., Both,J., doNascimento, J.V., & Folle, A. (2008). Carreira docente em educação física: uma abordagem sobre a qualidade de vida no trabalho de professores da rede estadual de ensino do Rio Grande do Sul. Rev. Educação Física/UEM, 19(1):11-22.


Ferreira-Valente, M.A, Pais-Ribeiro, J.L., & Jensen, M.P. (2011). Pain-related interference in daily life: Validation of a Portuguese version of the Brief Pain Inventory Interference Scale. In: Saúde, Cultura e Sociedade. Actas do 5° Congresso Internacional:164-181.


Ferreira, S.S., Santos, C.F., & Santos, V.F. (2015). O professor frente aos processos de aprendizagens da leitura e o nível de satisfação da prática pedagógica em sala de aula. Encontro Internacional de Formação de Professores e Fórum Permanente de Inovação Educacional, GT8(1). Disponível em https://eventos. set.edu.br/index.php/enfope/article/ view/1524/370


Gasparini, S.M; Barreto, S.M., & Assunção, A.A. (2006). Prevalência de transtornos mentais comuns em professores da rede municipal de Belo Horizonte, Minas Gerais, Brasil. Caderno de Saúde Pública, 22(12):2679-2691.


Gigante D.P, Moura E.C., & Sardinha L.M.V. (2009). Prevalência de excesso de peso e obesidade e fatores associados, Brasil, 2006. Rev Saúde Pública, 43(2):83-9.


Gorenstein, C., & Andrade, L. (1996). Validation of a Portuguese version of the Beck Depression Inventory and the State- Trait Anxiety Inventory in Brazilian Subjects. Brazilian J Med Biological Res 29:453-457.


Häfele, V., & Silva, M. (2014). Nível de atividade física de professores da cidade de Morro Redondo/RS. Rev Bras Ativ Física & Saúde, 19(4):475.


Koetz, L., Rempel, C., & Périco, E. (2013). Qualidade de vida de professores de Instituições de Ensino Superior Comunitárias do Rio Grande do Sul. Ciênc. Saúde Coletiva, 18(4):1019-1028. Rio Grande do Sul. Rev. Educação Física/UEM, 19(1):11-22.


Lopes, A., Ciconelli, R.M., & Reis, FB. (2007). Medidas de avaliação de qualidade de vida e estado de saúde em ortopedia. Rev. Bras. de Ortopedia, 42(11-12):355- 359.


Machado, M.L, Soares, V.M., Ferreira, J.B., & Gouveia, O. (2012). Satisfação e Motivação no Trabalho: Um Estudo sobre os Docentes do Ensino Superior em Portugal. Rev Portuguesa de Pedagogia, 46(1):95-108.


Miranda, AFD. (2014) Ansiedade e depressão em indivíduos com disfonias funcionais e organofuncionais. [Tese de Doutorado]. Universidade de São Paulo.


Morais, M.A. (2011). Burnout em docentes envolvidos na inclusão de alunos com necessidades educacionais especiais na rede pública [Monografia 48 f]. Universidade de Brasília. Disponível em: http://bdm.unb.br/handle/10483/4787


Oliveira, K.L., Santos, A.A., Cruvinel, M., & Neri, A.L. (2006). Relação entre ansiedade, depressão e desesperança entre grupos de idosos. Psicologia em Estudo, 11(2):351-359.


Oliveira, R.A.R., Moreira, O.C., Neto, F.A., Amorim, W., Costa, E.G., & Marins, J.C.B. (2011). Prevalência de sobrepeso e obesidade em professores da Universidade Federal de Viçosa. Fisioter Mov, 24(4):603-612.


Oliveira, C.M. (2012). Dor crónica, vinculação e acontecimentos de vida stressantes [Tese Doutorado].


Oliveira-Campos, M., Rodrigues-Neto, J.F., Silveira, M.F., Neves, D.M.R., Vilhena, J.M., Oliveira, J.F., & Drumond, D. (2013). Impacto dos fatores de risco para doenças crônicas não transmissíveis na qualidade de vida. Cien Saude Colet, 18(3), 873-882.


Organização Mundial da Saúde (OMS). (2001). Relatório sobre a saúde no mundo 2001: Saúde Mental: nova concepção, nova esperança. Genève: World Health Organization.


Rocha, V.M., & Fernandes, M.H. (2008). Qualidade de vida de professores do ensino fundamental: uma perspectiva para a promoção da saúde do trabalhador. J Bras Psiquiatria, 57(1):23-27.


Rombaldi, A.J., Borges, T. T., Canabarro, L. K., Corrêa, L.Q., & Neutzling, M. B. (2012). Conhecimento de professores de educação física sobre fatores de risco para doenças crônicas de uma cidade do sul do Brasil. Rev Bras Cineantropometria & Desempenho Humano,14(1):61-72.


Rosa, S.J. (2012). A qualidade de vida no trabalho dos professores do ensino médio da educação básica pública e privada de Paracatu-MG- Pedro Leopoldo. Mestrado Profissional em Adminis-tração [Dissertação Mestrado]100f. Disponível em: http://www.fpl.edu. br/2013/media/pdfs/mestrado/dissertacoes_2012/dissertacao_sued_jose_ rosa_2012.pdf


Santos, A.S. et al. (2010). A incidência do nível de ansiedade dos docentes dos estabelecimentos de periferia participantes do projeto cultural docente do município de Paranavaí-Pr. Coleção Pesquisa em Educação. 9(1).


Santos, M.N., & Marques, A.C. (2013). Condições de saúde, estilo de vida e características de trabalho de professores de uma cidade do sul do Brasil. Ciência & Saúde Coletiva, 18(3): 837-846.


Serlin, R.C., Mendoza, T.R., Nakamura, Y., Edwards, K.R., & Cleeland, C.S. (1995). When is cancer pain mild, moderate or severe? Grading pain severity by its interference with function. Pain, 61(2), 277-284.


Strieder, R. (2009). Depressão e ansiedade em profissionais da educação das regiões da Amerios e da AMEASC. Roteiro, 34(2):243-268.


Tabeleão, V.P; Tomasi, E., & Neves, S.F. (2011). Qualidade de vida e esgotamento profissional entre docentes da rede pública de Ensino Médio e Fundamental no Sul do Brasil. Cad. saúde pública, 27(12):2401-2408.


Teixeira, A.C.P., da Fonseca, A.R., & Maximo, I.M.N. (2002). Inventário SF36: avaliação da qualidade de vida dos alunos do Curso de Psicologia do Centro UNISAL-UE de Lorena (SP). Psic: Revista da Vetor Editora, 3(1):16-27.

Cómo citar
Andrade de Araújo, E., Costa Rodrigues, Q. da, Nunes Braz, E., Mendes, E., & Borba-Pinheiro, C. (2016). Variables de la salud y calidad de vida de los maestros en una ciudad del Norte – Brasil. Ciencias De La Actividad Física UCM, 17(1), 9-21. Recuperado a partir de http://revistacaf.ucm.cl/article/view/86